ARTIGO “Doença de Parkinson: o tratamento terapêutico ocupacional na perspectiva dos profissionais e dos idosos”

A combinação de sintomas físicos, mentais e emocionais, que afetam os ambientes sociais, familiar e de trabalho, sugere que uma intervenção padronizada, ‘tamanho único’ trará resultados limitados. Se é que trará algum.” (Aragonn A., Kings J.) Não precisamos nem devemos ser iguais, isso é impossível, os pacientes não serão iguais, mas temos que falar a mesma língua e deixar isso claro para o nosso paciente

AVDs na Doença de Parkinson – Alimentação

Como a Terapia Ocupacional pode auxiliar parkinsonianos na alimentação, reduzindo acidentes, derrubada de alimento, engasgos e otimizando o desempenho ocupacional nessa atividade de vida diária, que é fundamental para o bem estar e qualidade de vida?

Tratamento multidisciplinar na Doença de Parkinson – atuação da Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional tem como principal objetivo de tratamento promover a autonomia e independência de seus pacientes. Na Doença de Parkinson o Terapeuta Ocupacional atua de forma generalista, reabilitando o parkinsoniano nos seus diversos contextos de vida (AVDs, AIVDs, lazer e trabalho). Para isso se utiliza de avaliações padronizadas, específicas para a Doença de Parkinson, além

Como cuidar de um paciente com demência numa crise nervosa?

Diversas patologias levam à disfunção cognitiva: Alzheimer, Parkinson, AVC, demência fronto-temporal, depressão, entre outras. Independente de qual seja o diagnóstico crises podem acontecer e elas trazem alteração comportamental, choro, agressividade, ameaças, fala desconexa, automutilação, o que deixam os familiares e cuidadores sem saber como agir. Nesse vídeo eu oriento algumas dicas fáceis e simples, com linguagem acessível para ajudar os cuidadores e familiares a agir num momento de crise.

Tratamento das Demências e Disfunções Cognitivas

A Terapia Ocupacional tem um papel fundamental no tratamento das demências e disfunções cognitivas. A atuação é direcionada para manutenção da capacidade funcional e autonomia do indivíduo, associada à estimulação dos componentes cognitivos que estejam prejudicados. Além disso, o Terapeuta Ocupacional também atua nas alterações neuropsiquiátricas e comportamentais que possam surgir em determinadas fases da doença.