Como cuidar de um paciente com demência numa crise nervosa?

Diversas patologias levam à disfunção cognitiva: Alzheimer, Parkinson, AVC, demência fronto-temporal, depressão, entre outras. Independente de qual seja o diagnóstico crises podem acontecer e elas trazem alteração comportamental, choro, agressividade, ameaças, fala desconexa, automutilação, o que deixam os familiares e cuidadores sem saber como agir. Nesse vídeo eu oriento algumas dicas fáceis e simples, com linguagem acessível para ajudar os cuidadores e familiares a agir num momento de crise.

Late afternoon – o curta, que trata de demência, indicado ao Oscar

Um filme poético e extremamente melancólico, Late Afternoon mergulha na mente confusa de uma idosa, cujas memórias, afetadas provavelmente pela doença de Alzheimer, se misturam entre diferentes fases de sua vida.

Recortes de objetos e cores servem para despertar pedaços de recordações da protagonista, em um recurso visual criativo e ao mesmo tempo sensível.

O uso de cores e formas dão uma beleza poética ao curta, que busca equilibrar o sentimento de tristeza e desamparo com a ideia de que ainda existem momentos breves, nem que seja em um fim de tarde, que dão sentido à vida.
Fonte Setcenas

Tratamento das Demências e Disfunções Cognitivas

A Terapia Ocupacional tem um papel fundamental no tratamento das demências e disfunções cognitivas. A atuação é direcionada para manutenção da capacidade funcional e autonomia do indivíduo, associada à estimulação dos componentes cognitivos que estejam prejudicados. Além disso, o Terapeuta Ocupacional também atua nas alterações neuropsiquiátricas e comportamentais que possam surgir em determinadas fases da doença.

Terapia Floral

A Terapia Floral se baseia no uso de essências retiradas de flores com propriedades medicinais. Esses compostos foram descobertos pelo médico inglês Edward Bach na década de 30 e seu uso é reconhecido pela OMS desde 1938. Florais são um combinado de essências, formulado e utilizado para promover o reequilíbrio energético. Dr Bach acreditava que nós